25/03/2010

A imagem de cidade imperfeita e genuína fez de Lisboa o melhor destino europeu

In Público (25/3/2010)
Por Ana Rita Faria

«Mais de três mil pessoas de 47 países votaram e escolheram a capital portuguesa para melhor destino da Europa em 2010. Para trás ficaram cidades como Barcelona, Berlim e Florença


No circuito internacional

"Esta cidade é simplesmente pura. A maioria das cidades estão a tentar ser o melhor "produto" no mercado turístico, Lisboa não é um produto, é um estado de espírito, é a preservação de uma autenticidade maravilhosa que faz de Lisboa uma cidade para visitar, viver e amar." Foi acompanhado deste comentário que o londrino Peter Johns deixou o seu voto por Lisboa. Tal como ele, outras 3220 pessoas, de 47 países diferentes, elegeram a capital portuguesa como "Melhor Destino Europeu 2010".

O prémio, dado pela Europen Consumers Choice, uma organização não-lucrativa com sede em Bruxelas, inclui a disponibilização de uma página para a promoção de Lisboa no site da instituição e a divulgação do resultado da votação on-line em vários meios de comunicação europeus. Além disso, a capital portuguesa poderá usar o logótipo "Escolha do Consumidor Europeu" em toda a sua comunicação institucional, durante este ano.

A votação, que obrigava ao registo prévio no site e, portanto, apenas permitia um voto por pessoa, decorreu entre Dezembro de 2009 e Janeiro de 2010. No total, cerca de dez mil pessoas votaram no leque de dez cidades pré-seleccionadas pelo júri da European Consumers Choice: Berlim, Copenhaga, Lyon, Florença, Atenas, Bruxelas, Newcastle, Bilbau e Barcelona - que ficou em segundo lugar, atrás de Lisboa.

"Uma cidade real"

Os comentário deixados no site na altura da votação explicam o porquê de a capital portuguesa ter passado à frente das suas congéneres rivais. "A maioria apresenta Lisboa como uma cidade real, que não se deixa moldar para o turismo e as pessoas apreciam cidades que não são perfeitas", revela Maximiliam Lejeune, director da Eu- ropean Consumers Choice. Muitas vão a Lisboa sem as mesmas expectativas que têm quando vão à cidade da Torre Eiffel ou do Coliseu, mas acabam por "ficar surpreendidas" e por "se apaixonar" por ela.

"A autenticidade é uma das imagens de marca e das mais-valias de Lisboa", considera Paula Oliveira, directora executiva do Turismo de Lisboa. Na capital, "os eventos não são feitos de plástico para os turistas e cada um pode ver a cidade à sua maneira", realça.

Duarte Correia, vice-presidente da Associação Portuguesa de Agências de Viagem e Turismo (APAVT), considera também que foi pela "genuinidade" que Lisboa ganhou o prémio. "Ao contrário de outras cidades europeias, os turistas não identificam Lisboa com os monumentos mas sim com a cultura, os costumes, o povo, a maneira acolhedora como são recebidos". E ainda mais um pormenor que parece ter sido um brinde da natureza. "A nossa situação geográfica é privilegiada, pois somos a única capital da Europa com praia e mar mesmo ao lado", destaca Paula Oliveira.

Para a directora executiva do Turismo de Lisboa, a distinção da capital como "Melhor Destino Europeu 2010" irá dar mais notoriedade à cidade. "A partir daqui mais gente vai falar de Lisboa, gera-se curiosidade e isso vai trazer cá mais turistas, mesmo aqueles que nunca colocaram esta cidade como primeiro destino das suas opções de férias ou de fim-de-semana". O vice-presidente da APAVT também não tem dúvidas: "É com nomeações como esta que se põe um destino no mapa."

Esta foi a primeira vez que o concurso da European Consumers Choice teve à votação cidades europeias. Tradicionalmente, a organização distingue todos os anos 25 categorias de produtos escolhidos por um júri e consumidores europeus, tendo em conta a sua concepção estética, uso prático e grau de inovação. Tal como no caso de Lisboa, as empresas vencedoras ganham o direito de utilizar, durante um ano, o logótipo "Escolha do Consumidor Europeu" nos seus produtos e meios de comunicação.»

...

Puxa, à frente de Florença. O ovo de Colombo está aí: quanto mais imperfeita for Lisboa, mais procurada será pelo turista. Et-voilà! Portanto, venham daí mais buracos, mais lojas de pechisbque, mais "hotéis de charme", mais "árvores-palito", mais contentores, mais gruas, mais prédios a cair, mais taxistas ladrões, mais tubos de escape, mais buzinas, mais lixo nas caldeiras das árvores, mais MN adulterados por empreiteiros de obras de vão-de-escada, mais esplanadas paupérrimas, mais ..., mais ..., mais...

25 comentários:

Anónimo disse...

Este prémio é um atestado a grande parte dos temas falados neste blog.
Muito bom! lol

Anónimo disse...

também já vimos que os turistas escolhem Lisboa por causa do preço.

enfim, isto é apenas uma votação de 3 mil pessoas que por acaso sabiam da votação da European Consumers Choice. eu dou-lhe tanto valor como outro artigo da monocle.

de qualquer maneira antes em primeiro que em último...

Anónimo disse...

Entendi: desleixo e bandalheira são sinónimos de autenticidade.

Anónimo disse...

Paula Oliveira tem razão. Lisboa tem as magníficas praias de Algés, Cruz Quebrada e Porto Brandão logo ali ao lado.

Até cruzeiros no Tejo (entrando pelo mar adentro), Lisboa tem incomparavelmente mais e melhores que Londres, Paris ou até... Sevilha.

:))

Anónimo disse...

Acho que podem acabar com o blog. Pela avaliação, este blog não faz qualquer sentido.
lol

Rui disse...

Lisboa ganhou todos os prémios principais dos últimos World Travel Awards, e agora isto. É evidente que o Turismo de Lisboa está a fazer um excelente trabalho na manipulação de resultados. Parabéns por isso. No entanto, não deixam de ser reconhecimentos pouco ou nada merecidos. São prémios que Lisboa poderia vir a receber, mas infelizmente estes não são o resultado da verdadeira imagem deixada aos turistas que nos visitam. Trabalho em turismo e sei do que falo, por isso só acredita na imparcialidade e verdade destes prémios quem é muito ingénuo ou desconhece a natureza de "prémios" deste tipo.

Anónimo disse...

há por aqui um repetitivo lol que gosta da lesboa como está. que lhe faça bom proveito. lol

Salvador, disse...

Paulo, faltou " mais monos"...

Anónimo disse...

lol

Anónimo disse...

Faltaram os graffiti, os carros estacionados à balda ou a não pararem quando cai o vermelho, os vendedores-melgas, as obras inacabadas, o caos no espaço público, o barulho noturno em zonas habitacionais...

Anónimo disse...

Oh Senhores, mudem de cidade, mudem de país! Irra que já não há pachorra!

Anónimo disse...

Pois claro, inteligência, está tudo num brinquinho, nem podia estar melhor. E se há 3 mil e tal que gostam, que interessa que haja centenas de milhares de cidadãos sujeitos à m#### reinante?

Anónimo disse...

Quando há uns bons anos lí no Guide Vert Michelin 8à época apenas disponível en edição francesa, que Lisboa tinha o "charme da decadência" e era "uma cidade do Magrebe" mais mais perto fiquei revoltado com os chuvinistas...

Mas infelizmente parecem ter razão, a grande mais valia de Lisboa é mostrar aos turista uma cidade do 3 mundo, com preços parecidos aos do 3 mundo, mas com uma segurança razoável e próxima da civilização.

Triste fado, o de país falhado!

f.

Anónimo disse...

Para a superinteligência das 5:55 é claro que não está tudo num brinquinho, está muita coisa mal.
Mas um facto é que se por acaso dizem algo de bom sobre Lisboa parece que ficam todos lixados. Voçês são mais azedos que limões verdes! Façam uma limonada e deitem-lhe muito, mas muito açúcar!

Anónimo disse...

E o Filipe Melo Sousa onde está o seu comentário.. não percam o próximo episódio, porque eu (nós) tambem não..

A.lourenço disse...

os turistas que nos visitam,em 3 ou 4 dias, vêm apenas o que vale a pena e ainda temos muita coisa boa para ver,disso não há duvida.Ainda não conseguimos destruir tudo.
Não vêm obviamente ver os problemas que temos, que são imensos, não é para isso que cá estão.

quanto ao estudo vale o que vale, como diz o Rui.

E, caros anónimos, quem se preocupa genuína e honestamente com a nossa cidade,tenha ou não as minhas ideias, não tem que ir para lado nenhum.Faz cá muita falta.

Carlos Leite de Sousa disse...

O que me parece é haver alguma dificuldade com a língua portuguesa. A notícia tem um objectivo e um público que não é quem vive ou trabalha em Lisboa. E apenas isso. Os problemas são públicos, e quem escreve neste blog preocupa-se com a cidade. Em tempos tive uma loja de souvenirs em Alfama e a imagem que os turisticas transmitiam era exactamente a que a notícia relata. Se eles gostam, óptimo. É dinheiro que entra no pais sem ser por via do Subsídio da Comunidade. Não vejo qual o problema, nem qual o problema da promoção da cidade no exterior.

Anónimo disse...

Obrigado, A. Lourenço.

Quem vê os defeitos e o desleixo de Lisboa é porque afinal a ama.

Além disso, quem tem casa e família e emprego em Lisboa não pode decidir ir-se amanhã embora para nunca mais voltar.

Quem manda fazer isso sofre além de cegueira voluntária, de idiotice incurável.

Xico disse...

Maior idiotice é não saber aprovar Lisboa como ela é e estar sempre a criticá-la com coisinhas que por vezes não lembram a ninguem, ou não deveriam lembrar.
Cada um tem o seu modo de biscar felicidade. Ainda bem que adoram Lisboa e só conseguem ver defeitos, o que seria se vissem virtudes!

Anónimo disse...

A pessoa que assina como filipe arranjou outro nome, agora assina como chico...

Xico disse...

Naaaa. Pessoas diferentes. E é com X.

Anónimo disse...

Pois claro, Lisboa está óptima assim, não há buracos, lojas de pechisbque, "hotéis de charme", "árvores-palito", contentores, gruas, prédios a cair, taxistas ladrões, tubos de escape, buzinas, lixo nas caldeiras das árvores, MN adulterados por empreiteiros de obras de vão-de-escada, esplanadas paupérrimas, ou se há o que devemos é comer e calar e gabar.

Enfim, é o que temos.

Nuno disse...

Já passei por quase todas as capitais da Europa e de facto Lisboa é uma cidade que vale a pena conhecer.
Vale muito a pena passar aqui uns dias, é de facto engraçado e genuino.
Para mim é como Marraquexe, adorei conhecer e achei o máximo para passar lá 3 dias, mas se me dissessem onde gostaria de viver escolheria Estocolmo.
Lisboa será assim para os Turistas que aqui vêm, como eu achei piada à bosta de burro no chão eles acham piada ao chão esburacado e à bosta de cão, como eu gostei dos burros e motoretas a passar e a zunir por todo o lado sem regras eles acharão piada aos engarrfamentos poluíção e carros em cima dos passeios, etc, etc...
Enfim bonito e exótico para ver de passagem mas muito longe ainda de uma capital Europeia desenvolvida e com bom nível de vida.
Façam-se esforços para tornar a cidade atractiva para todos e não só para os turistas....

lmm disse...

Lisboa é perfeita? não
Lisboa é aquilo que eu gostaria que fosse? não
Há dia em que ande por Lisboa e não fique frustrado com alguma coisa? não

Mas há aqui muitas pessoas que vivem no seu próprio mundinho do caixilho, do cabo, do AC na fachada (coisas que eu tb odeio!) que não são capazes de ficar contentes com o facto de haver MUITOS turistas que adorem Lisboa. A cegueira é tanta que desejam que todos os outros detestem Lisboa por não ser perfeita.

É necessário, de vez em quando, tirar as palas e ter uma visão menos centrada...

Luís Marques

Anónimo disse...

Só tenho um comentário a fazer; Ainda bem!!!
O que não significa que o tema possa ser abordado de acordo com as duas correntes que parecem ter baixado neste post. Nem tão má, nem tão boa.
Existe um grande facto diferenciador em Lisboa, que não existe em Madrid e Paris e provavelmente não existirá em Londres, Berlim ou Estocolmo.
Em nenhuma dessas cidades os habitantes locais e/ou os lojistas se esforçam para falar a lingua dos visitantes. Este pequeno gesto não passa indiferente a quem nos visita, permite aprender muito mais sobre a cidade e ganhar alguma simpatia por ela.
Eu quando vou passear "lá fora" não estou preocupado em saber se o município local tem bons projectos de investimento, se as obras de saneamento demoram uma eternidade, se a limpeza urbana procede à recolha dos RSU's regularmente, se existem problemas de trânsito e se as carreiras urbanas vão a todo o sitio.
Luís Alexandre