...

...

03/12/2014

Iconoclastas!

Os governantes desta cidade não deixam de surpreender. Bem sei que já só se surpreende quem quer porque fomos habituados, desde sempre, pelas vereações que se sucedem desde o período democrático, que a cidade não é para todos e com todos. É para alguns.
Quem leu a notícia de O Público ficou a saber (aqui) que a CML conseguiu ver aprovada em Assembleia Municipal uma permuta de terrenos na Avenida de Berna, Avenida Santos Dummond e Praça de Espanha, com votos a favor do PS (que esteve sozinho nesta votação) e esclarecimentos do Vereador Salgado, que se vai traduzir na perda de um dos grandes ícones de Lisboa: o restaurante La Gôndola.
Imagem retirada da net e alterada. Se o seu autor solicitar será retirada.
Este oásis no meio de uma das avenidas mais buliçosas da capital é um segredo aberto. Noites maravilhosas passei aqui!
Para quem não sabe sobre a história deste imóvel, outrora particular, aqui abriu o primeiro restaurante italiano de Lisboa pelas mãos de uma família italiana, há perto de oitenta (!) anos. Passou de mãos e eventualmente o mordomo de Calouste Gulbenkian tornou-o um dos dois mais luxuosos de Portugal, onde baixelas de prata competiam com os criados de libré e os móveis vistosos para colocar este restaurante no mapa dos prazeres inatingíveis ao comum. Por aqui passaram figuras maiores da cultura portuguesa e internacional. Nos anais desta maravilhosa casa de risco e sabor português - apesar do nome do restaurante - constam todas as cabeças coroadas que visitaram ou viveram em Portugal, atores, pintores, artistas em geral, políticos, presidentes...
Hoje, foram deixados os dias dourados por vontade intencional da sua actual proprietária, que gere este espaço como uma porta sempre aberta para um bom prato, uma boa bebida (e se as há!!) num ambiente eclético, onde uma enorme coleção de pratos decorativos se afilam na parede, portugueses e estrangeiros, que ao longo dos anos os clientes deixam propositadamente, ou quadros e mais quadros da sua coleção particular.
Não é incomum encontrar-se o quem é quem da política a degustar os pratos do Chefe Pedro que há mais de 50 anos está à frente da cozinha. Todos lá vão! O que vão eles fazer a favor desta fonte de memórias da nossa cidade?
Queremos mesmo perder mais este ícone? Podemos?

1 comentário:

Paulo Ferrero disse...

E a moradia com 100 anos, onde está a polícia, na própria Santos Dummond... outro crime. Veremos no que dá ...