...

...

29/12/2014

O interminável amor de Lisboa pelos tags e outros rabiscos

Chafariz do largo de S. Paulo. Recém-limpo, já foi grafitado pelos bandos que delimitam assim o seu imaginário território. Pueril a atitude da CML que acha que limpar repetidas vezes o que é vandalizado com infinta frequência, é a melhor política. Nada de penalizar a coisa. Somos todos muito democráticos e livres. Quem sofre é a cidade, cuja imagem está cada vez mais degradada. Exasperantes a indolência e indiferença deste esxecutivo camarário. 



Vários exemplos deste amor incondicional que liga Lisboa à pior das expressões urbanas. É assim por todo o lado. Rua do Ferragial.

4 comentários:

Anónimo disse...

O Bairro alto também já está, outra vez, cheio deles.
Inclusive nas fachadas e nas estruturas petreas de dezenas de edifícios que foram reabilitados durante este ano!

Anónimo disse...

O Zé trabalha bem.

Dos jornais:

O vereador do Espaço Público de Lisboa, José Sá Fernandes, vai declarar guerra aos graffiti em 2013. A ideia é limpar os chamados "tags", as assinaturas que povoam as paredes da cidade."Haverá um combate radical aos graffiti", declarou o autarca durante o debate sobre o estado da cidade que decorreu nesta terça-feira na Assembleia Municipal de Lisboa.



Sá Fernandes explica que a mega-operação de limpeza deverá arrancar em Janeiro ou Fevereiro e implicará custos que "não chegam a um milhão de euros". A apagar os "tags" ou a pintá-los, consoante os casos, estarão tanto funcionários municipais como empresas privadas: a câmara irá também abrir um concurso para as empresas da especialidade.

Anónimo disse...

O executivo Camarário pouco pode fazer. Quando o povo é selvagem e labrego, só mesmo um ditador...

Anónimo disse...

Caro anónimo das 1:08:

De que "povo" é que está a falar?

Tenho a certeza que ficaria admirado se lhe dissesse qual é a nacionalidade de muitos destes vândalos que vem para cá, de propósito, para cometer este tipo de crimes!