Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

09/07/2013

Estátua equestre de D. José I:



«Se não colocarem a corneta, os dedos da mão e as pontas das bandeiras... a estátua ficará para sempre mutilada ...»

Texto e fotos de Miguel Jorge, no Grupo Facebook do Fórum Cidadania Lx

...

E, já agora, os arreios continuam partidos...

9 comentários:

Anónimo disse...

Cá temos mais um caso em que "O Rei vai nú". Sim. Uma lástima de restauro e toda a gente a fingir que não vê. Nem é preciso ser "especialista" para ver que aquele resultado é mau. A peça está toda manchada. Uma vergonha. Meio milhão de euros para isto??!!!

Anónimo disse...

Manchada!? Mas o senhor já se informou sobre as propriedades dos materiais utilizados?

Aquelas "manchas" como lhes chama, são oxidações naturais dos metais e são um mecanismo natural e químico que permite prolongar a durabilidade da obra. Se quiser saber mais sobre isso faça uma rápida pesquisa sobre Patina.

Além disso o restauro foi feito pela única instituição mundial com "know-how" suficiente para o fazer, a World Monuments Fund.

Não deixe o seu comentário, só para dizer mal. Ao menos informe-se ou passa por situações, como esta, de profunda ignorância. Como se costuma dizer: perdeu uma excelente oportunidade para ficar calado.

Anónimo disse...

Se você percebesse alguma coisa de restauros iria perceber que essas manchas são normais. Aos poucos a estátua irá ficar com uma tonalidade verde uniforme.

Mas em Portugal é sempre mais fácil criticar...

Paulo Soares

Anónimo disse...

"Além disso o restauro foi feito pela única instituição mundial com "know-how" suficiente para o fazer, a World Monuments Fund."

A WMF não faz obras. A WMF apenas financia. Enterrou meio milhão de euros numa estátua, quando o mesmo valor daria para restaurar várias igrejas. Se a WMF em NY soubesse o que se passa em Portugal, não punha cá nem mais um dólar!

Meio milhão de euros foram gastos exactamente em quê? Com quem? Onde está o relatório de contas?

"Oxidações naturais dos metais para prolongar a durabilidade da obra". Então, mais valeria terem estado quietos. Sim, porque a oxidação natural já estava a garantir a durabilidade da obra... Mas está a gozar com quem? Quem foi o "especialista" em metais ou ligas da obra? Quem disse esse disparate? Pergunte a qualquer catedrático em metais do IST que ele explica-lhe como se faz. Não venham encher os olhos dos lisboetas com areia porque o povo não é estúpido. O reu vai nú!

Filipe de Suza disse...

Naquele lugar deviam mas era repor o parque de estacionamento para automóveis que lá esteve muitos anos.

Anónimo disse...

Tem a certeza que o povo não é estúpido?

É que o pelo seu comentário... fico com dúvidas!

Anónimo disse...

O "especialista" foi o Dr. Mauro Matteini. É só, talvez, um dos maiores especialistas de restauro de metais... O trabalho foi feito com base num relatório prévio do lnec. Parece que no lnec também há "catedráticos de metais"
Talvez a reportagem da tsf o possa elucidar um pouco mais sobre o restauro. E também referem as diferenças de tonalidade na estátua.
A reportagem pode-se encontrar aqui: http://www.tsf.pt/Programas/programa.aspx?content_id=918070&audio_id=3293050

JJ disse...

Só iluminados por aqui. Quando toca a falar de "milhões", elevam-se as cristas e toda a gente se indigna. O que vale é que os cães ladram e a caravana passa.

Anónimo disse...

Pois é. Enquanto os cães ladram e a caravana do rei nú passa, o povo morre de fome. Fiquemos pois impávidos e serenos do alto dos nossos pedestais.