02/07/2013

LISBOA FEIA, PORCA E MÁ: Freguesia de S. João de Deus



Passado mais de 1 ano sobre o início da Recolha Selectiva de lixo na Freguesia da São João de Deus, ainda é assim que muitos munícipes tratam a sua cidade: como uma lixeira. E como bem sabemos, este tipo de fenómeno está espalhado por toda a cidade sem que a CML esteja a conseguir dar uma resposta. Tanto faz ser bairro caro ou barato, as ruas da nossa cidade estão cada vez mais imundas. E o problema não será tanto a falta de varredores ou de recolha de lixo, etc. mas muito mais o chocante facto de existirem tantos cidadãos sem qualquer noção de Higiene Urbana e Gestão de Resíduos - já para não falar em ter brio na cidade onde vivem e trabalham! Fotos: Av. Óscar Monteiro Torres & Av. Sacadura Cabral

8 comentários:

Filipe Melo Sousa disse...

Como se observa na foto, o contentor está cheio. Se não há espaço para mais, as pessoas não têm outra escolha. Não vão certamente guardar o lixo para sempre em casa.

Anónimo disse...

Irra!

Há contentores em cada prédio. Frequentemente são feitos desaparecer, estão escondidos em arrecadações, foram vandalizados, etc.

E há SACOS PARA O LIXO!

Anónimo disse...

O colega Filipe não sabe que andando mais uns metros se encontra outro contentor vizinho.
A cidadania não obriga em pegar no telefone (ou telemóvel)e dizer aos serviços da Câmara da situação?
Telefonar uma vez, duas, escrever, chatear o Presidente da Junta, etc. Ou é só obrigações e os deveres enquanto cidadãos e munícipes?
Temos o dever de não deitar papéis para o chão, de não deitar beatas para o chão, não estacionar motas, bicicletas ou automóveis em cima do passeio.
Temos muitos deveres que não cumprimos.
Não basta assobiar para o lado e deixar a Cidade no estado em que está.
Há muito por onde escolher e os candidatos e os que nunca chegaram à Presidência da CML talvez não tivessem os descuidos e o deixar andar que aqueles que têm estado na vereação têm tido.
Caro, analise quem foram os mentores e assinaram as monstruosidades que estão aí à vista.
Não basta ser velho, é preciso que os comportamentos menos cívicos não se perpetuem.

Filipe Melo Sousa disse...

Não sei em que cidade o sr Anonimo vive. Na Lisboa que eu conheço os contentores estao todos cheios, e falar com a câmara é perda de tempo. Assim sendo, não há contentores onde colocar o lixo, e isso é um FACTO.

Carina disse...

Onde moro (Mouraria) não existem contentores, apenas os restaurantes têm um como o da foto e fechado com chave. A recolha é feita porta a porta depois das 19h, pelo que os sacos do lixo tem que ficar na rua amontoados até à recolha (que na minha rua acontece por volta das 23h).

E não, ninguém fez desaparecer contentores nem estão escondidos nas arrecadações, que por sinal também não existem.

Claro que há pessoas que colocam o lixo na rua, fora das horas estipuladas, mas isso não acontece assim tão regularmente! Pelo menos na minha zona.


Anónimo disse...

Os lisboetas são imundos.

Anónimo disse...

Esta situação não se vê noutras cidades europeias.
Acho que isto é a conjugação de duas realidades: Deficiências nos serviços de de limpeza da câmara e falta de civismo das pessoas.

Fl1ppeR disse...

Boa tarde,

Estou de visita a Lisboa e esta situação dos caixotes do Lixo está-me a fazer grande confusão.

A primeira questão que me fiz é "como é que a reciclagem é feita?". Pelo que investiguei, este modelo de reciclagem até tem aspetos positivos face à falta de cidadania da população, e a Quercus defende mesmo como sendo uma melhor alternativa aos ecopontos.

A segunda questão é... e "como andam as pessoas de cadeiras de rodas nesta cidade?"...

Parece-me que a culpa está distribuída entre os utentes - que não fazem nada para mudar a situação e amontoam o lixo sem responsabilidade - e da câmara - que não parece estar a fazer uma boa gestão.

A ideia que dá a quem visita a cidade é que a Câmara e os seus munícipes têm pouco brio e sentido cívico. Existe imenso lixo no chão e as ruas são um caos (em termos de pavimento e de marcações).

Lisboa é imensamente grande, mas também tem muito dinheiro. Dinheiro não pode ser justificação...
Vamos a Paris, Londres, Porto, Gaia, Braga, Guimarães, Aveiro, Viseu... e notoriamente Lisboa destaca-se muito pela negativa.