Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

12/07/2013

Esplanadas de Lisboa: Praça de Londres


11 comentários:

Anónimo disse...

Cabia perfeitamente mais uma fila de cadeiras até à extremidade do passeio. Assim não vão lá.

jorge disse...

Qual é o problema?

Anónimo disse...

Como há sempre quem ache bem, temos o Costa que merecemos.

Já agora, aconselho a passagem junto à Urban Beach, bem cedinho (não é preciso exagerar), um local bem "in" da noite lisboeta e não propriamente frequentado por pessoas dos bairros periféricos, para se constatar o imenso chavascal que por lá vai. Elucidativo da bandalheira que é apreciada até pelos "famosos".

Anónimo disse...

O problema, Jorge, é estar a ocupar quase todo o passeio, e ainda por cima com mobiliário de plástico com publicidade. O facto de fazer essa pergunta revela muito sobre o que levou esta cidade à mediocridade e à falta de brio. Visite qualquer capital ou grande cidade europeia e veja se encontra esplanadas semelhantes. O centro de Lisboa não deve ser idêntico a um food court de um centro comercial ou a uma esquina de um subúrbio qualquer...
Mas pelos vistos os lisboetas têm o que gostam e o que merecem...

Carlos Medina Ribeiro disse...

Em termos de ocupação abusiva do espaço público para além do autorizado (e que já é muito), «A Mexicana» ultrapassa, em muito, isto.

Anónimo disse...

O problema é o uso abusivo do espaço público. Se devidamente licenciada/fiscalizada o espaço destinado à circulação de "não clientes" teria de ser muito maior

Carlos Medina Ribeiro disse...

Caro Jorge,

O problema é que, por definição, espaço público é espaço colectivo, que pertence à comunidade.
Quando um comerciante se apropria de parte dele para seu proveito exclusivo (como é o caso das esplanadas), isso tem de ter alguma compensação, e a lei prevê que isso possa suceder, mediante taxas.

O problema é quando exorbitam o espaço que lhes está concedido.

Tudo indica que é o que sucede com «A Mexicana», ali ao lado:
O espaço delimitado pelo toldo e pelos guarda-ventos foi estendido para poente, à custa do passeio, sendo os peões são obrigados a um desvio, ou a passar por entre as mesas e cadeiras.

JJ disse...

Meu deus. Que escândalo, pá!

Anónimo disse...

Mew Deus! Como é que há gente que aprecia toda a espécie de falta do mais elementar civismo?

JJ disse...

Há problemas bem maiores. Passam por transformar este país num lugar de cidadão e não de sobreviventes que só tentam chegar ao fim do mês. O resto vem por arrasto. Vão dizer ao dono do café que está a ocupar o espaço público de forma abusiva (adorava saber como, já que o mesmo paga para ter ali a esplanada) e ele até se ri na sua cara.

Anónimo disse...

Comentários sempre da treta. Vão dizer aos da contrafacção que estão a vigarizar e eles até se riem...