Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

09/11/2013

Petição "Pela Manutenção da Calçada Portuguesa na Cidade de Lisboa!"


Para assinar, clicar AQUI

À atenção do Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lisboa


Considerando que a Calçada Portuguesa é “ex-libris” da cidade de Lisboa, factor identitário da cidade aquém e além-fronteiras, elemento central da sua beleza e luminosidade, ambientalmente sustentável, regulando a temperatura e aumentando a permeabilidade do solo, vantagem competitiva, e, não poucas vezes, o elemento de valor do nosso espaço público;

Considerando que desde há décadas se assiste à má colocação e à pior manutenção da Calçada Portuguesa um pouco por toda a cidade, fruto de um sem-número de problemas por resolver (utilização de material de má qualidade, colocação por não calceteiros, obras constantes no subsolo, estacionamento automóvel nos passeios, etc.), que resultam em calçada esburacada, escorregadia e perigosa para o peão, sobretudo em arruamentos íngremes, contribuindo assim para uma compreensível aversão dos transeuntes à mesma;

Considerando que a Câmara Municipal de Lisboa, incompreensivelmente, tem vindo a procurar resolver este problema de forma ilógica, planeando a sua substituição por blocos de lioz e outros materiais a toda a cidade excepto à Lisboa histórica (contudo já o fez no Miradouro de Sta. Catarina e na Rua da Vitória, por ex.), e não, em vez disso, optando por corrigir as más práticas referidas no parágrafo anterior;

Os abaixo assinados SOLICITAM AO SENHOR PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA para que providencie no sentido de, doravante, a CML:


1. Combata eficazmente o estacionamento automóvel em cima dos passeios, causa de grande parte da destruição da calçada portuguesa.

2. Proíba a colocação de pedras que não de calçada portuguesa nas obras a decorrer no espaço público de Lisboa, seja em obras da iniciativa da CML seja de terceiros.

3. Regulamente de forma eficaz as obras de infraestruturas (com calendarização regular de inspecções) levadas a cabo por terceiros, obrigando a que aquelas utilizem calceteiros credenciados para o efeito.

4. Dignifique a profissão de calceteiro (incentivos financeiros e outros).

5. Crie unidades de intervenção imediata de calcetamento, que monitorizem a cidade diariamente.

6. Elabore e torne público o ‘caderno de encargos’ que se pretende em termos de piso alternativo (materiais, novas abordagens, estética, etc.) nos casos e zonas em que tal se revele inócuo, a fim de se evitar um resultado como o verificado no Miradouro de Santa Catarina.


Lisboa, 7 de Novembro de 2013.


Para assinar, clicar AQUI

4 comentários:

Anónimo disse...

Como a distinta vereação é muito competente, andam a renovar os passeios da Praça D. Luis numa altura em que ainda há por lá obras de construção do parque subterrâneo.

E havendo lugares à fartazana na Av. 24 de Julho, os utentes do Mercado da Ribeira colocam os carros em cima do passeio renovado sem que ninguém mexa uma palha.

Pedrinhas de calçada à portuguesa, ou seja, não tarda nada toda degradada.

Anónimo disse...

Assinado!!!

Anónimo disse...

os calceteiros precisam apenas de trabalho. não precisam de incentivos financeiros nem de subsídios. e uma profissão não se dignifica por decreto ou por petição pública.

Filipe Melo Sousa disse...

Quem paga os calceteiros, a manutenção caríssima deste piso? Já não bastam décadas de cidade esburacada para perceber que não há dinheiro para manter um piso destes?

Os subscritores da petição que paguem. Que indignar-se com o dinheiro dos outros é fácil.