13/02/2009

LISBOA É...

...uma cidade com uma obsessão por sinais verticais de trânsito?

- há demasiados, a sua presença é frequentemente excessiva no ambiente urbano;
- muitas vezes estão mal instalados pois não têm consideração nem pela mobilidade pedonal nem pelo património arquitectónico;
- são grandes de mais quando comparados com os de outras capitais da UE;
- etc., etc. (aceitam-se mais evidências)

E muitas vezes são completamente inúteis, particularmente os sinais de estacionamento proibido! Talvez que esta obsessão esconda, afinal, uma crónica incapacidade de ordenamento e comportamento cívico dos portugueses.

Foto: interessante «par» de sinais de trânsito junto à FIL na Junqueira. Qual será a mensagem deste «par»? «Não tenha medo, siga e estacione em cima dos passeios»? A avaliar pelo número de viaturas estacionadas nos passeios, parece ser essa a interpretação mais popular da parte dos automobilistas que procuram o local. Tudo isto se passa, literalmente, em cima de um parque de estacionamento subterrâneo... Lisboa não parece ter emenda.

2 comentários:

Anónimo disse...

Em que se baseia para dizer que as outrsa cidades europeias têm menos sinais de trânsito? O conhecimento empirito não vale porque esse também eu o tenho e leva-me a concluir precisamente o crontrário.

Alias, sempre ouvi como critica às nossas estradas urbanas - e não só - a falta de sinalização que provoca entre outros, acidentes e mortes, mas pelos vistos, há alguém que acha que temos sinais a mais.

R Dias disse...

Eu concordo com o autor, e acho que há excesso de sinalização.

Mas tb creio que esta percepção surge pelo facto de não parecer existir qualquer tipo de regra na sua colocação, ou seja, qual a distância ao lancil a colocar, qual a altura da sinalização, se a chapa do sinal é lisa ou quinada, ou se os cantos são vivos ou boleados, etc.